José Malcher Jr.

Eng. Software – Analista de Sistemas

Essa é a hora de escrever Projetos para fazer eventos de Informática na nossa região!

Já estão abertas as inscrições para projetos no Programa de Apoio à Realização de Eventos Científicos, Tecnológicos e de Inovação no Pará. As propostas para o edital 7/ 2011, lançado pela Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado (Fapespa), podem ser submetidas até 30 de abril de 2012.
O objetivo do governo ao investir no apoio a congressos, simpósios, workshops, seminários, ciclos de conferências e outros eventos similares de abrangência regional, nacional ou internacional – relacionados à ciência, tecnologia e inovação – é disseminar e democratizar a informação sobre a produção de conhecimento científico no Estado, e contribuir para o intercâmbio nessas áreas.
Cerca R$ 300 mil, provenientes do Programa Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Sustentável da Fapespa, que fazem parte do Plano Plurianual (PPA) do governo do Estado, serão aplicados em eventos que acontecem no período de 1° de novembro deste ano a 30 de junho de 2012.
Podem se inscrever todos os pesquisadores, professores e especialistas que tenham vínculo formal com instituições de ensino superior, públicas ou privadas, sem fins lucrativos; centros e institutos de pesquisa e desenvolvimento, públicos ou privados que não visem lucros; e dirigentes de associações e sociedades técnico-científicas. Mais informações: www.fapespa.pa.gov.br.

Simone de Campos – Agência Fapespa

Para acompanhar  os editais: http://www.sig.fapespa.pa.gov.br/index.php?id=3&acao=1

FONTE: http://www.fapespa.pa.gov.br/?q=node/1839

agosto 31st, 2011

Posted In: Belém, Eventos

Tags:,

Leave a Comment

http://www.profissionaisti.com.br/

Quem é profisional ou quer se proficionalizar em T.I, tem que acessar e ler os artigos desse site.

http://www.profissionaisti.com.br/

Separei um para postar aqui no blog:

Por: José Antonio Milagre

Não é preciso muita explicação para chegarmos à conclusão de que no mundo da tecnologia da informação muito pouco é genuinamente criação, e grande parte é cópia ainda que parcial ou derivada.l

No cenário mundial, podemos rememorar em 1988, o caso Apple x Microsoft envolvendo interface gráfica Xerox Alto, com acusações de plágio com o Windows 2.0, bem como o recente caso envolvendo o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg e os irmãos Winklevoss, além de outra batalha com o “ex-sócio” Eduardo Saverin.

Muitos já chegaram até meu escritório com projetos de “idéias on-line” sites do tipo, teve uma idéia, submeta e sinta o “colaborativo” dar o feedback se a idéia é boa ou não, cooperando com a execução. Logicamente, explico que isto pode não dar certo no Brasil, embora tenha esperança que este cenário mude, porque temos uma cultura da cópia, do mínimo esforço. Você correria o risco de alguém com mais dinheiro que você executar seu projeto na frente?

Startups (empresas em implementação com pouca ou nenhuma experiência de mercado e com futuro promissor) são a onda da vez no Brasil, que é líder em empreendedorismo (com um empreendedor para cada oito adultos). Uma necessidade de ter negócios digitais tomam a mente de investidores. Mídias sociais, social commerce, mobilidade, virtualização e cloud, storage, dentre outros são alguns segmentos de interesse. Crescimento e riqueza estão migrando para economias emergentes como Brasil, que aliás possui uma “destreza tecnológica” invejável.  Empresas inovadoras, com idéias interessantes, jovens e com poucos recursos para desengavetar projetos ou fazer a “máquina rodar” passam a valer “ouro” em um mercado que cresce no Brasil.

Antigamente, colecionávamos casos envolvendo incubadoras e aceleradoras que concebiam excelentes projetos, porém se ajudavam com uma mão, tiravam com a outra. Quantos profissionais prejudicados por orientadores e incubadoras que em troca do apoio exigiam sociedade ou administração no negócio ou mesmo direitos de exploração econômica dos softwares produzidos pelos empreendedores… Empreendedores chegavam até nós com aberrações contratuais firmadas, onde nada mais podia ser feito a não ser a tentativa de anulação judicial dos negócios.

Atualmente o quadro se agrava, vivemos uma onda de “corretoras de startups” (me desculpem mas não vou usar anglicismos pouco claros) que oferecem a intermediação entre investidores e empreendedores. Chegam com o discurso de que possuem longa carteira de investidores ou fontes de “seed money”, aptos e a investirem em projetos viáveis no mundo da tecnologia da informação e que precisam fazer testes e avaliações. Mapeiam toda a empresa, coletam todas as informações estratégicas e nem sempre o negócio se concretiza.

Outras empresas propõem uma consultoria em formato de evento, onde o empreendedor paga uma inscrição para ter acesso a um ambiente com demais empreendedores, onde irá expor seu projeto e receber a avaliação de ‘especialistas’ que prometem alavancar os negócios em pouquíssimos dias.  Algumas ainda oferecem a investidores faixas de preços para “startups” que dizem fazer a prospecção. Tem stratup de 10k, de 20k e assim por diante…

Quais os riscos? Seu projeto ser absolutamente usurpado, em um conceito que chamamos de “aproveitamento parasitário”. Não estou pedindo que engesse seus negócios digitais, mas para não se prejudicar ao tentar “recursos” para sua alavancar sua startup, algumas orientações básicas são necessárias e pertinentes:

  1. Conheça sua empresa. Se você já não é uma pessoa física, conheça seu tipo societário, tributos existentes, obrigações. Leia o contrato social de sua empresa, conheça os poderes do sócio administrador;
  2. Proteja sua obra. Seja um software, desenho industrial ou mesmo um serviço inovador, há a possibilidade de proteção intelectual por formas distintas no Brasil. Consulte um especialista e tenha as Leis 9609 e 9610/1998 sempre à mão;
  3.  Conheça as leis existentes. Não é possível ser um empreendedor ou inventor em Ti e não conhecer os conceitos da Lei de Inovação 10.973/2004 e demais leis inerentes. Se o projeto envolver desenvolvimento, blinde o contrato com os desenvolvedores, deixando claro seus direitos patrimoniais sobre o produto;
  4. Celebre acordos de confidencialidade. Carregue na sua pasta os chamados NDAs (Non-disclosure-agreements) e não comece a falar nada sobre seu projeto sem que o interlocutor, investidor ou corretor assine e obrigue-se a confidencialidade, principalmente, se você já tem um modelo de negócios pré-definido;
  5.     Se seu negócio se enquadra no conceito de “inovação”, procure agências de fomento legalizadas, que poderão financiar seus projetos desde que estimulem o desenvolvimento da tecnologia e inovação;
  6.     Faça parte de associações com credibilidade no setor. SUCESU, ASSESPRO, ABRAT, ANPROTEC, dentre outras associações poderão oferecer assessoria, mentores e apoio ao empreendimento de TI, além de respaldo jurídico e mediação especializada em casos de litígios com investidores e terceiros;
  7. Esteja “up-to-date” com as linhas de financiamento FINEP e BNDES. Talvez, com um bom projeto, você consiga um dinheiro sem a necessidade de abrir capital ou quotas da sua empresa. O SEBRAE também não deve ser descartado;
  8. Esteja aberto a investimentos e conversações (lógico!), porém cheque a integridade de “intermediários” e “investidores”. O Google está aí para isso. Pesquise casos passados, avalie. Assim como eles farão uma análise de risco e due dilligence sobre o seu negócio, faça sobre o deles, principalmente, se sua empresa já está faturando; Se o investidor for estrangeiro, consulte o modelo legal existente em seu país de origem; Gustavo Chierighini (http://www.saiadolugar.com.br/2010/08/03/9-mitos-sobre-capital-de-risco-para-startups/) é preciso em sua explicação sobre o tema, onde pondera que: “Não acredite na força dos relacionamentos, isso é pura ilusão. Intermediários baratos adoram usar isso para conquistar negócios e clientes. Ninguém vai investir absolutamente nada por causa disso. Gestores de investimentos prestam contas sobre suas decisões e nessas horas a amizade pode até atrapalhar”;
  9. Cuidado com programas de aceleramento relâmpago de sua empresa inovadora de TI. Só querem o seu dinheiro, em troca, vão te despejar inúmeras planilhas e números, conceitos e alguns e-mails, para que você se vire. Em co-working, saiba antes dos direitos e deveres de cada um e como ficará a propriedade ou co-propriedade do projeto após finalizados os trabalhos;
  10. Não busque assessoria jurídica orientada ao incidente. Tenha profissionais especializados em direito e tecnologia da informação do seu lado, a cada etapa de amadurecimento de seu projeto. Não faça nada sem antes consultá-los, inclusive nos contratos de venda da empresa ou cessão de direitos de exploração. Não aceite tudo que está escrito nos contratos ou cartas de intenções (term-sheets), questione! Muito cuidado quando o empreendedor se mantiver com algumas ações da empresa, será preciso avaliar cláusulas que limitam seus poderes neste caso.

Com estas singelas orientações, o empreendedor digital poderá minimizar riscos de ter sua idéia sabotada, de concorrência desleal ou até mesmo, exclusão dos quadros societários da startup, sendo forçado a vende-la. O aspecto jurídico deve estar presente em todo o projeto de anuncio e aceleração das startups.

Logicamente, cobrar pelo serviço de captação de recursos ou consultoria para o negócio são atividades comuns, porém desconfie de consultorias que como preço pedem sociedade ou participação nos lucros da empresa.  Normalmente, o ingresso à sociedade se dá apenas para investidores e na modalidade venture capital ou capital de riscos, que é um tipo de investimento privado, através do qual se compra participação societária em startups que apresentem possibilidades de crescimento exponencial.

Importa dizer, as fusões e aquisições devem ser planejadas, sobretudo no que tange a aspectos legais existentes em relação aos dados de consumidores.

Devemos ter em mente que incumbents vão cada vez mais tentar a aproximação de Startups, sobretudo com os eventos de Olimpíadas e Copa do Mundo a se realizarem no Brasil. Viveremos a chamada “febre das aceleradoras”. Isto é bom? Isso é ótimo, mas a ânsia em conceber um modelo de negócio e ver um projeto decolar pode superar etapas de planejamento, risco e segurança, que podem impactar completamente o futuro da startup e de seus criadores. Pense nisso e cautela!

Participe do TechInter 2011, uma conferência focada em mercado, empreendedorismo, novas oportunidades em tecnologia da informação. Excelente oportunidade para contato com especialistas e precisosas informações estratégicas sobre criação de Startups e novos negócios digitais. Para saber mais acesse: www.techinter.com.br

José Antonio Milagre é Perito e Advogado especializado em Direito Digital

Twitter: http://www.twitter.com/periciadigital
E-mail jose.milagre@legaltech.com.br

FONTE: http://www.profissionaisti.com.br/2011/08/cuidados-juridicos-ao-tentar-alavancar-sua-startup-digital-ou-de-internet/

agosto 31st, 2011

Posted In: Sem categoria

Tags:

Leave a Comment

Bicicletada Belém 27/08/2011

 Todo final de mês usuários de bicicleta, no Brasil e no mundo, se reúnem para celebrar o transporte sustentável e criar um movimento de resistência urbana: a cidade como bem de todos!

Concentração no CAN no dia 27/08/2011, 16:30, Sábado!

Bicicletada Belém 27/08/2011
Bicicletada Belém 27/08/2011

 Lembre-se de ir com capacete, luva, camisa de cor chamativa e “luz de pisca” traseiro na bike.

agosto 26th, 2011

Posted In: Belém, Esportes, Eventos, Notícias

Tags:, ,

Leave a Comment

http://www.flickr.com/photos/campuspartybrasil

Foi aberto o site da Campus Party 2012. A quinta edição do evento que começará dia 6 de fevereiro começa a ser comemorada e esperada com mais fervor a partir de agora. A #CPBr5 tem em suas costas a responsabilidade de tentar ultrapassar o público da Campus México, pois nesta terceira edição (18-24 de julho) reuniu, durante sete dias, 7.192 campuseiros, o número mais alto dentre todos as demais edições do evento na Espanha, Colômbia e Brasil. Pra nós foram abertas 7000 vagas embora fossem esperado mais, uma vez que pela mudança de local de onde será realizada no próximo ano, caberiam muito mais pessoas.

Pra quem não entendeu ainda o que estou falando, a Campus Party é o maior evento de inovação, criatividade e entretenimento digital do mundo. A troca de experiência é a base do encontro. Os frequentadores são amantes e curiosos do mundo tecnológico que vão atrás de conhecimento. Durante uma semana estudantes, profissionais e apaixonados por tecnologia, novas mídias e afins se encontram falar, ouvir e trocar ideias sobre tecnologia. No Brasil a primeira edição realizada foi em 2008. Foi a primeira vez que a Campus Party saiu da Espanha. Em 2012 teremos pela primeira vez a participação dos Estados Unidos, numa edição no Vale do Silício, claro!

Para o ano que vem temos algumas presenças já confirmadas, lançadas ontem na ocasião da abertura do evento, por Paco Ragageles, o co-fundador do evento, dentre elas estão: Julien Fourgeaud (Product Manager & Business Development da empresa Rovio, responsável pelo sucesso do jogo Angry Birds), Rafinha Bastos, Rodrigo Fernandes (Jacaré Banguela), Mauricio Cid (Não Salvo), Rosana Hermann, Alex Bellos (escritor, radialista e especialista em matemática), Andreu Vea (presidente da Internet Society – Spanish Chapter), Sebastián Alegría Klocker (garoto de 14 anos que desenvolveu o @AlarmaSismos, um sistema caseiro de alerta de terremotos baseado nos modelos japoneses) e isso só pra começar! Novos nomes surgirão até a data tão esperada e podemos ter boas surpresas, pois nomes como Julian Assange, Larry Page, Andy Rubin, Steve Bank, Stan Lee e Chespirito \o/  estão sendo cotados e votados entre os campuseiros participantes do CSI da Campus.

http://www.flickr.com/photos/campuspartybrasil

É um evento imperdível! Anote aí na sua Google agenda:

Início: 6 de fevereiro de 2012

Onde: Parque Anhembi – São Paulo Valor: R$ 300,00, e não inclui o serviço de camping e alimentação, que são opcionais.

Período de venda promocional: 05/09/2011 a 02/10/2011 – Valor: R$ 150,00

Caravanas: até o dia 30/10/2011, R$ 150,00. Entre 31/10/2011 e 27/11/2011, R$ 240,00.

Camping – Valor: R$ 30,00

Mais Informações:

Site: http://www.campus-party.com.br/
Blog: http://www.campus-party.com.br/blogoficial/
Fotos: http://www.flickr.com/photos/campuspartybrasil
Videos: http://www.youtube.com/user/campusparty

FONTE: http://www.ceschini.com.br/2011/08/campus-party-abre-seu-site-para-a-cpbr5/

Campus Party Brasil 2011

Campus Party Brasil 2011

agosto 25th, 2011

Posted In: Eventos, Notícias

2 Comments

Aqueles que acompanham a pagina oficial da Nokia no Facebook, notaram a existência de um contador regressivo que irá zerar no dia 24 de agosto de 2011, mesmo dia que ocorrerá um evento em Hong Kong. Aparentemente, nessa data, a Nokia deverá anunciar o lançamento de 3 dispositivos com processador  de 1Ghz e com o sistema operacional Symbian Belle. Há rumores, que possivelmente serão os aparelhos Nokia 600, 700 e 701, cujas informações vazaram e foram divulgados amplamente.Para quem tiver interesse, segue o link direto do cronometro: facebookapps.nokia.com/somethingnew/TeaserMain.swf.

FONTE: http://ramalhoblog.com/contagem-regressiva-para-o-symbian-belle/

agosto 24th, 2011

Posted In: Eventos

Tags:

Leave a Comment

 

via: Luide e o Tempo

agosto 24th, 2011

Posted In: Piadas

Leave a Comment

 

VIA: Luide e o Tempo

agosto 24th, 2011

Posted In: Piadas

Leave a Comment

agosto 24th, 2011

Posted In: Piadas

Tags:

Leave a Comment

agosto 23rd, 2011

Posted In: Esportes

Tags:

Leave a Comment

Olá!

Estava lendo um post no WebHolic com o título “O guia do Empreendedor para as aceleradoras brasileiras” que diz respeito ao número cada vez crescente das startups e com elas as incubadoras, mais conhecida nesse meios como Aceleradoras.

Aqui nesse link, você pode ler mais sobre as principais aceleradoras brasileiras.

Aqui no Pará, a Aceleradora de grande destaque é a Amazon Startups que na sua própria definição:

É um movimento que busca engajar pessoas, em especial empreendedores a montar novas empresas, sendo elas de tecnologia ou não, com um modelo de negócios diferenciado. Em uma visão mais ampla pretendemos unir investidores, empreendedores e todas as variáveis importantes (Investidor / Empreendedor / Mentor / Profissionais / Apoiador) para iniciar um negócio sustentável, que possa ganhar escala mundial e desenvolver a região amazônica.
A descrição já diz tudo!

Você encontra no site da Amazon Startups  notícias, entrevistas, eventos, PodCasts e informações para você ter um bom espaço para Coworking.

Para participar basta acessar o site e se cadastrar para receber novidades.

http://www.amazonstartups.com/

Se alguém souber de outras aqui do Pará me avisem!=^)

agosto 23rd, 2011

Posted In: Sem categoria

Tags:,

2 Comments

Dei uma pausa dos estudos/trabalhos para assistir alguns vídeos muito motivadores sobre empreendedorismo, muitas dicas para motivar tanto os patrões quanto aos empregados a serem melhores e de como o mercado está atualmente.

Vale muito a pena assistir, recomendadissimo:

No programa “Sem Censura” o mestre Waldez Luiz Ludwig apresenta uma aula de administração reportando os maiores erros que um funcioário e um empreendedor acabam cometendo em suas vidas profissionais.
Parte 1

parte 2

Parte 3

No programa do Jô Soares:
Parte 1:

Parte 2:

Parte 3:

Motivação A Gestão Estratégica Waldez Ludwig:

Repasse para seus chefes, gerentes e amigos de trabalho!


agosto 19th, 2011

Posted In: Sem categoria

Tags:

Leave a Comment

O Grupo LinguÁgil acredita e dissemina os princípios do Manifesto Ágil, prega a filosofia da Programação Poliglota e a adoção das melhores práticas de desenvolvimento. Através da promoção de eventos, palestras, cursos e dojos, busca mobilizar e integrar as comunidades de tecnologia, profissionais, acadêmicos e estudantes. linguagil.com.br

Para acessar os vídeos: http://vimeo.com/linguagil

agosto 17th, 2011

Posted In: Sem categoria

Tags:

Leave a Comment

Procurando nos principais blogs de tecnologia para saber mais sobre a aquisição da Motorola Mobility pela Google, lendo vários outros artigos, conseguir encontrar o mais conciso com a realidade.

Segue para você ler: Gizmodo Brasil

agosto 16th, 2011

Posted In: Notícias

Tags:,

Leave a Comment

Relembrando o que aconteceu para ser feriado aqui em Belém-Pará, resolvi pesquisar uns artigos sobre a Adesão do Pará, o melhor que eu achei é do blog Pará Histórico, postei aqui, leiam!

Interessante ver os nomes das nossas ruas ganhando vida lendo a história e saber qual foi a importância deles. Lembro de um professor de História, não lembro o nome, explicou para a turma a relação histórica relacionando com os nomes das ruas de Belém, vou procurar saber e depois postar aqui!

Adesão à Independência e Rebeliões no Pará (1822-1834)
Prof. Leonardo Castro

Até o começo da segunda metade do século XIX, a Amazônia tinha a sua sede em Belém; o que hoje corresponde ao atual Estado do Amazonas ainda era subordinado, como capitania, ao Pará. As autoridades portuguesas, que sempre dedicaram uma atenção muito especial a esta região, tinham bases administrativa e econômicas muito sólidas. Proclamada a Independência do Brasil, em 1822, poucos reflexos o fato despertou no território paraense. Apenas alguns idealistas pugnavam pela separação de Portugal. Mas, sem a ajuda do novo Império, nada poderiam fazer contra as forças militares sediadas em Belém, que continuavam fiéis a Portugal. As oposições entre grupos civis e militares se fazia no meio da nova vida política com eleições para as Juntas e com a presença dos líderes. A vida no Pará foi marcada, durante uns 14 anos, por diversas rebeliões e acontecimentos dramáticos.

Em 1823 nas eleições são vitoriosos os partidários da emancipação política da Colônia. Os defensores da vinculação do Pará à metrópole portuguesa tentaram anular a eleição, mas sem sucesso. Em março deste mesmo ano, a tropa prende os membros da Junta e restabelece uma Junta favorável aos interesses de Portugal. Em abril de 1823 há a revolta em Belém e Muaná dando apoio à Independência do Brasil e do Pará.

O sentimento separatista se refletiu por ocasião das eleições realizadas para a primeira Câmara Constitucional de Belém, no dia 25 de fevereiro de 1823. Vereadores brasileiros foram eleitos, enchendo de espanto e revolta o comandante das Armas, general José Maria de Moura, e seguidores de sua linha de fidelidade ao governo português. Os descontentes reuniram-se a fim de ser estudada uma atitude a tomar. Foi concedido o plano de anular o pleito. No dia primeiro de março, o coronel João Pereira Vilaça mandou prender, em suas próprias residências, os componentes da Junta, restabelecendo a antiga Câmara, composta de conservadores. Os detidos foram deportados para diversos pontos do interior amazônico. O líder Batista Campos escapou, escondendo-se na mata próxima de Belém.

Contudo os partidários da Independência não haviam desistido, e tiveram início reuniões secretas, principalmente na casa de um italiano, de nome João Balbi, na rua do Laranjal. Os membros trataram em conseguir apoio militar, que veio através do capitão Domiciano Ernesto Dias Cardoso, do capitão Boaventura Ribeiro da Silva, entre outros. Os conspiradores acertaram o movimento para a madrugada do dia 14 de abril. Ao amanhecer, o 1º regimento surgiu à rua Santo Antônio. Vinham à frente, o comandante das Armas, José Maria de Moura, o coronel Vilaça e o Coronel Francisco José Rodrigues Barata (bisavô de Magalhães Barata). Houveram instantes de indecisão entre os revoltosos, pois até então não havia violência nem mortes. O cadete Bernal do Couto quis disparar uma peça de artilharia. Porém, Boaventura da Silva o impediu. Desta forma, a revolta nacionalista fracassara. Todos os revoltosos foram presos e recolhidos à Fortaleza da Barra (os oficiais) e à cadeia pública (os civis). Entre os civis estavam Bernardo de Souza Franco, cônego Jerônimo Pimentel, José Pio de Araújo Nobre, Honório José dos Santos, Manoel Evaristo da Silva, João Balbi, etc.

Após o julgamento foram condenados à morte. Porém, interferências de pessoas influentes (como o bispo D. Romualdo Coelho), fizeram com que a pena se transformasse em prisão e degredo. Para isto, transferiram-nos para Lisboa. Muitos dos que sobreviveram retornaram ao Pará após a adesão à Independência do Brasil.

Adesão do Pará à Independência

O Lord Cochrane, após de se conseguir, no final de 1823, a adesão do Maranhão à Independência do Brasil, voltou à Amazônia, o último reduto português no Norte. Incumbiu o capitão John Pascoe Greenfell para desempenhar a missão. Comandando o brigue (navio a vela) “Maranhão”, com uma tripulação de 96 homens, no dia 5 de agosto, Greenfell tomou rumo ao Pará.

No dia 11, Greenfell enviou à Junta o oficio de Lord Cochrane, avisando que o Brasil, do Sul ao Maranhão, encontrava-se sob o governo de D. Pedro I; faltava apenas o Pará para que a nação ficasse independente. A notícia de que a esquadra de Cochrane se encontrava fora da barra e que se emissário se achava perto da ilha Periquitos, alvoroçou Belém. Foi convocado o Conselho, para discutir o assunto. Após algumas horas de debates, o Conselho decidiu aderir à Independência, contra os votos do general Moura. Lavraram uma ata e enviaram-na a Greenfell. Desta forma, a data de adesão do Pará à Independência do Brasil é 11 de agosto; no entanto, é festejada no dia 15, em virtude de nesse dia ela ter sido oficializada.

Adesão do Pará à Independência.

Contudo a eleição da Junta Provisória do Governo, após a adesão do Pará à Independência, não satisfez os nacionalistas. Ela era composta em sua maioria por conservadores. Isso significava que, embora aderindo ao Império Brasileiro, o Pará continuava sendo governado por elementos nitidamente comprometidos com a Coroa Lusa. As preferências dos nacionais dividiam-se entre o cônego Batista Campos e o bispo D. Romualdo Coelho.

Imediatamente após a posse, numerosos brasileiros enviaram à Junta uma petição em que exigiram a demissão de cargos civis e militares de todos os portugueses ou pessoas ligadas ao passado, que de uma maneira ou outra se tinha mostrado contrários à incorporação do Pará ao Império. Como encontraram resistência, uma coluna, sob o comando do alferes Pereira de Brito, dirigiu-se para a residência de Batista Campos. O comandante pediu-lhes que ordenasse a abertura das portas do Trem de Guerra. Apreciando os sucessos, e ante à gravidade da situação, resolveram atender às exigências dos revoltosos, e as portas do depósito de armas foram-lhe abertas. Depois disso, conseguiram que todos os portugueses fossem demitidos de seus cargos públicos e que Giraldo José de Abreu fosse substituído na presidência por Batista Campos.

Entretanto, Greenfell e seus navios estavam fundeados na baía do Guajará. Na noite do dia imediato, sabendo do que ocorria na cidade, mandou seus marujos para à terra a fim de prenderem todas as pessoas que fossem suspeitas, sem obedecer qualquer distinção social. Centenas de pessoas foram aprisionadas. Na manhã seguinte (dia 17), Greenfell mandou que o Parque de Artilharia se postasse no Largo do Palácio. Escolheu entre os prisioneiros cindo deles e mandou fuzilá-los. Mandou prender Batista Campos. A prisão do líder nacionalista foi efetuada pelo capitão Joaquim José Jordão. O inglês mandou amarrar Batista Campos na boca do canhão. No instante em que ia ordenar o disparo, muitas pessoas influentes, que ali se encontravam (entre elas o bispo D. Romualdo Coelho), intercederam e o cônego foi poupado. Todavia, levaram-no preso para bordo do brigue “Maranhão”, sendo de lá transferido para a charrua “Gentil Americana”. Os civis e militares que tinham sido presos na noite de 16 foram coletivamente assassinados no porão do brigue “Palhaço”. Foi a maior chacina que havia ocorrido até então na história paraense; nada menos de 252 pessoas ali perderam a vida. Em outubro de 1823, em Cametá houve uma rebelião contra o morticínio no brigue “Palhaço”, bem como nas vilas de Baião, Oeiras, Portel, Melgaço, Moju, Igarapé-Miri, Marajó, Abaeté, Muaná, entre outras.

Brigue Palhaço. Tela de Romeu Mariz Filho

A Abrilada de 1833

Em julho de 1831 Bernardo José Gama, Visconde de Goiana, tomou posse no governo do Pará, em substituição ao Barão de Itapicuru-Mirim, José Félix Pereira de Burgos. Seu governo durou apenas 18 dias; uma revolta, chefiada pelos caramurus tirou-o da chefia da Província. No Pará, desde a adesão à Independência do Brasil, a política se dividia em dois grupos: Filantrópicos (nacionalistas, chefiados por Batista Campos) e Caramurus (conservadores). Os motins se sucediam. Os presidentes nomeados pela Corte enfrentavam, logo após a posse, o problema de contentar um partido e descontentar o outro, ou seja, a política paraense situava-se entre dois fogos. Com o Visconde de Goiana aconteceu exatamente isto, suas medidas, como a extinção das formas de trabalho forçado, recebiam apoio dos nacionalistas e a condenação dos conservadores. Depois de 19 dias, o governador foi deposto e seu substituto, o cônego Batista Campos foi preso dentro de um navio da esquadra imperial. A nomeação do desembargador José Mariani (12 de dezembro de 1832) para a presidência do Pará foi recebida festivamente pelo grupo que compunha o Partido Caramuru, que começou a hostilizar, mais do que nunca, os partidários Filantrópicos. Estes, vendo-se ameaçados tomaram suas providências: dispuseram o povo a representar, por intermédio dos juízes de paz, à Câmara Municipal, sobre a necessidade de sustar a deliberação do afastamento do presidente Machado de Oliveira, até a deliberação da Regência.

Em 16 de abril de 1833, os juízes de paz das freguesias da capital foram reunidos, à presença do coronel Machado de Oliveira, para comunicar-lhes algumas exigências populares: a) sua permanência no governo da Província, justamente com seu comandante de Armas; b) caso aceitasse que a Província fosse administrada pelo Conselho Presidencial, contando que o desembargador Mariani não tomasse posse. No dia 17, Machado de Oliveira oficiou a Mariani, colocando-o a par do acontecimento. O desembargador percebeu que não adiantava forçar sua posse. Isto significava a derrota do Partido Caramuru. A abrilada representa o término das lutas entre os Partidos Filantrópico e Caramuru; foi uma prestação de contas entre as duas organizações que há muito lutavam pela supremacia política no Pará. O coronel governou o Pará até 4 de dezembro de 1833, quando foi substituído por Lobo de Souza. No governo deste eclodiria a Cabanagem.

Referência Bibliográfica

BARATA, Manoel. Formação histórica do Pará. Belém: UFPA, 1973.

PROST, Gérard. História do Pará: das primeiras populações à Cabanagem. Volume I. Belém: Secretaria de Estado de Educação, 1998.

RAIOL, Domingo Antônio. Motins políticos. Belém: UFPA, 1970.

ROCQUE, Carlos. História geral de Belém e do Grão-Pará. Belém: Distribel, 2001.

agosto 15th, 2011

Posted In: Belém

Tags:,

6 Comments

Ví esse post em um blog e lembrei do Marcelo Sousa que curte montar essas figuras em papel!

Click para ampliar a imagem:

Click com o botão direito e selecione “salvar imagem como…”

O vídeo mostra como montar:

Vídeo seguinte mostra alguém que montou:

Eu vi no: bloodybrothers.com.br

agosto 15th, 2011

Posted In: Sem categoria

Tags:

Leave a Comment

Achei esse vídeos no Youtube, são 2 partes bem montadas resumindo bem a vida de quem trabalha com T.I. de forma muito engraçada e divertida. Vale a pena conferir!

Como os vídeos não podem ser incorporados do youtube para assistir aqui, vou postar os links aqui:

Seriado sobre TI – Parte 1

Seriado sobre TI – Parte 2

 

agosto 15th, 2011

Posted In: Piadas

Tags:

Leave a Comment

Na ilha de Boa Vista do Acará existiu um lugar lendário chamado “A PEDRA QUE CHORA”, muitos falavam de seus encantos, de sua beleza, de sua água medicinal, pois diziam que quem tomava banho lá rejuvenescia e curava qualquer doença. Eram lágrimas de uma grande pedra em forma de gruta por onde escorria um fino fio de água dividindo a pedra ao meio, caindo em forma de gotas que brilhavam quando o sol iluminava o local.
Um dia uma linda e bela donzela saiu de casa para o baile anual da cidade, ao entrar no salão ela se encantou com um belo rapaz diferente de todos que ali estavam, suas roupas brilhavam como a de um príncipe, seus olhos eram formado por gotas muito parecidas com as gotas da “Pedra Que Chora”. Com todo esse encanto a bela donzela não resistiu e passou a bailar com o jovem por toda a noite. Depois da meia noite o jovem a convidou para sair e apreciar a bela noite de luar que iluminava o céu. Caminhando pela noite encantada a jovem não percebeu que estava sendo levada para o local da “Pedra que chora”. Lá, o jovem a encantou e a seduziu, a cada momento o fino fio de água se iluminava com a luz da lua cheia, e como por um encanto a grande pedra se abriu, o jovem convidou a donzela para entrar e conhecer o seu reino. Ela entrou e nunca mais saiu.
Seus pais desesperados começaram a procurar sua linda filha, e chegaram até o local onde apenas restavam as roupas e as pegadas da donzela. O desespero tomou conta dos dois, e eles, pai e mãe, juntos, embaixo do fino fio de água, amaldiçoaram o local – “Seja noite, seja dia, a donzela que aqui pisar, febre alta há de queimar sem nunca mais sarar e nenhum herdeiro irá vingar. Mas o dia vai chegar em que a lua cheia vai brilhar e o sol vai queimar cada gota de lágrimas da pedra que nos fez chorar, e nesse dia um jovem guerreiro vai entrar e esse reino destruirá, libertando minha donzela para nunca mais voltar”.
O povo da ilha, para proteger suas filhas da maldição resolveu fechar local e proibir qualquer morador passar perto da Pedra que Chora. Décadas e décadas se passaram, a mãe natureza fez a mata crescer com grandes árvores e uma densa floresta. O povo foi esquecendo a estória, ela foi proibida de ser contada. Os antigos criaram a “Irmandade da Pedra” formada pelos mais fortes e bravos guerreiros da região para proteger o local. Apenas crianças que nascem com a letra M bem definida na palma da mão direita pode se tornar um protetor da Pedra que Chora.
Recentemente uma criança foi encontrada vagando pela ilha, alguns moradores disseram que ela era muito parecida com um jovem caçador que sumira em uma caçada na região. Outros, disseram que a criança era filho da jovem donzela e que as águas sagradas da Pedra que Chora os mantinham sempre jovens. Assim como a criança surgiu, ela desapareceu…

EM BUSCA DESSA ESTÓRIA ESTAMOS LANÇANDO A II CAMINHADA KALUANÃ & EART.
200 ANOS DEPOIS PARTICIPE DESSA CAMINHADA E VIVA UMA GRANDE LENDA.

QUEM PODE PARTICIPAR:
Jovens, Adultos e Idosos que caminhem diariamente e tenham a capacidade de passar por cima de troncos e galhos e suporte de 5km a 7km.

PONTO DE ENCONTRO – Praça da Princesa Isabel, no final da Alcindo Cacela, na Bernardo Sayão.

VALOR DE INSCRIÇÃO – R$25,00 até 27/08/2011 – dará direito a camisa e ao transporte de ida e volta de barco até a Ilha de Boa Vista.

LOCAIS DE INSCRIÇÃO
Loja Top Bike, Rua dos Mundurucus, 2990, entre 14 e A. Cacela – fone: 3259-6698. Preencherá ficha de inscrição na loja.
Depósito Bancário – Ag. 3475-4, CC: 6351-7, Banco Brasil, Nome: Guilherme Bahia. Preencherá ficha de inscrição no dia.

INFORMAÇÕES GERAIS:
LOCAL: ILHA DE BOA VISTA DO ACARÁ.
DATA: 28/08/2011 (DOMINGO).
HORÁRIO ENCONTRO: 07:00h.
HORÁRIO SAÍDA DO PORTO – 08:00 h.
HORÁRIO SAÍDA DE BOA VISTA – 09:00 h.
HORÁRIO CHEGADA EM BELÉM – Entre 11:00h e 12:00h.
Caracteríticas da Trilha: Single-track, travessias, trechos de mata fechada e banho de rio.
PERCURSO: de 5km a 7km.
Guia: Guilherme, Eduardo, Fábio e Edilson.

CONHECIMENTO DE RISCO
Comunicamos a todos que ao participar dos passeios, o participante assume que o está fazendo por livre e espontânea vontade, assumindo todos os riscos, ficando responsável por sua própria integridade física e guarda de seus objetos e pertences, assim como o seu deslocamento até o local onde ocorrer o evento.
Os passeios são realizados, na maioria das vezes, em áreas de difícil acesso, em ambientes rústicos e isolados, e apesar de serem tomadas providências à minimizar os riscos nas áreas, acidentes podem acontecer. A decisão de participar do evento e única e exclusiva do participante que o faz de acordo com suas limitações.

E, que, isento a organização do evento e todos os patrocinadores, de quaisquer danos causados a mim ou a terceiros, por questões físicas ou materiais que me acometam ou que eu venha a dar causa por ato próprio.

RISCOS ENVOLVIDOS NA ATIVIDADE
Risco Material: quedas de materiais pessoais, como por exemplo, máquinas fotográficas, equipamentos de filmagem, óculos de sol ou de grau, bonés, relógios ou qualquer outro produto que possa estar portando no momento do evento;

Riscos gerais de passeios: intempéries climáticas, quedas, escoriações, lesões graves ou gravíssimas por não cumprimento das orientações, queimaduras, insolação, atropelamento, acidente de trânsito, assalto, roubo de materiais, e risco de morte dentre outros.
_________________
Ats. Guilherme Bahia
91-88973125
guilherme_bahia@yahoo.com.br
guilherme@eart.esp.br
guilherme@kaluana.com

FONTE: http://eart.esp.br/forum/viewtopic.php?t=4791

agosto 12th, 2011

Posted In: Belém, Esportes, Eventos

Tags:, ,

Leave a Comment

Achei esse vídeo muito show, é um comercial de uma marca de bicicleta:

Caso não compre uma moto…compro uma bike sobravel como essa:


As mais baratas achei aqui: FreeCicle via @Viajante75

agosto 10th, 2011

Posted In: Sem categoria

Tags:

Leave a Comment

Movimento Bicicletada em São Paulo Via: http://www.nauweb.tv

Bicicletada acontece também em Belém aos sábados, 16h, no CAN.
Para saber mais acesse:
Grupo no facebook: Bicicletada Belém
Bicicletada.org/Belém

Pedal Legal

Fórum EART

Twitter Bicicletada

agosto 10th, 2011

Posted In: Esportes, Eventos

Tags:

Leave a Comment

Vou treinar/pedalar/correr muito até lá para encarar esse desafio!

INFORMAÇÕES INICIAIS

Este será o III ANO do DESAFIO DO MARAJÓ, uma prova onde apenas os fortes sobrevivem e os fracos são devorados pelos abutres brasileiros (urubus). Parar no meio da prova para descansar significa ser carniça viva, pois os urubus ficam sobrevoando o atleta esperando pelo seu fim. O musculo queima, a perna treme, o corpo não aguenta, e isso leva o ser humano a fadiga total, ao desmaio,… a irracionalidade – E SÃO CHAMADOS DE LOUCOS.

Então faço uma pergunta a você AVENTUREIRO(a). “TÁS A FIM DE ENCARAR ?”

Prepare-se, dia 28 e 29 de Outubro, no encerramento do MARAJÓ BÚFALO FEST o III DESAFIO DO MARAJÓ.

Quem quiser ajudar na organização, entrar como patrocinador, apoio ou participar da prova,
nossa primeira reunião será na quinta-feira dia 11/08/2011, as 19:30h
na Lanchonete do Míleo.

FONTE: http://eart.esp.br/forum/viewtopic.php?t=4786

agosto 10th, 2011

Posted In: Esportes, Eventos

Tags:

Leave a Comment

Próxima Página »